Notas Contemporâneas - Zeca Baleiro - auditorio





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.



--Título:
Notas Contemporâneas - Zeca Baleiro - auditorio
Número do Item: Número de Registro:
00821NTP00379VD -
Coleção:
00821NTP - Notas Contemporâneas
Autoridades: Classificação:
Zeca BaleiroEntrevistado(a)
Cleber PapaEntrevistador(a)
Yan MontenegroMulti-instrumentista
Sarah do AmaralVocalista
RaaeVocalista
Júlia VargasVocalista
Yaniel Matos Multi-instrumentista
Pedro MontaganoMulti-instrumentista
Rosana CaramaschiCuradoria
Isabela OlmosProdução
Vânia AlmeidaProdução
André PacanoCinegrafista
Jennyfer YoshidaCinegrafista
Diego ValverdeEquipe técnica
Daniele DantasEquipe técnica
Lucas MelloEquipe técnica
Local de Produção:
Museu da Imagem e do Som - São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção: Data de Lançamento:
21/11/2019 -
Suporte/Formato:
HDD (Hard Disc)
Sistema: Cromia:
NTSC (National Television Standards Committee) Cor
Áudio: Produção:
- Nacional

Sinopse/Descrição:

Cleber Papa apresenta a instituição, o Programa, o MIS Experience, Paço das Artes, a banda; comenta sobre o violoncelo, instrumento de timbre próximo a voz humana.

Cleber Papa comenta sobre a música Telegrama; Cleber pergunta sobre a festa da melancia e outros aspectos da infância na cidade de Arari-MA; Zeca Baleiro conta que um tio abriu um hotel, chamado São Jorge, onde alguns shows foram realizados: The fevers, Waldick Soriano, Reginaldo Rossi; fala sobre a festa da Melancia em Arari; fala sobre iniciação no violão, poucas aulas aos 14 anos; cita Paulo Diniz cantando Drummond; explica sobre a origem de seu apelido; diz que demorou para ter clareza da sua profissão; comenta que Milton Nascimento é filho adotivo; brinca sobre seu apelido.

Banda MIS toca “Meu amor, meu bem, me ame”.

Cleber pergunta sobre o início de carreira; diz que não queria sucesso; comenta sobre o álbum Liricas; a gravação do disco seguinte, um projeto bem diferente; Cleber pergunta sobre a abertura do shows, fingindo ser cego; o cantor diz que a referencia vem de pessoas que via no comercio de seu pai; comenta brevemente que Tom Zé também é de família comerciante; diz que a farmácia do seu pai formava um circulo cultural; cita o filme Amarcord, de Fellini; fala sobre quando conheceu uma pessoa cega de verdade; destaca o interesse na teatralidade.

Banda MIS toca “Flor da pele”.

Comenta que compôs em 1988; fala sobre a interpretação da Gal; explica a referencia e os desdobramentos da composição Por onde andará Stephen Fry.

Banda MIS toca “Telegrama”.

Cleber pergunta sobre a influência da bossa nova em seu trabalho; destaca que foi interpretada em diversos ritmos, mas que não era sua referencia para criação; fala sobre artistas da bossa, destacando que Tom Jobim extrapolou o gênero; plateia pergunta sobre a inspiração da música “ela nunca diz”; o cantor diz que são várias; plateia pergunta sobre momentos marcantes da carreira, o cantor fala sobre momentos de dificuldades; Cleber pergunta sobre a escolha dos nomes dos filhos; plateia pergunta sobre o impacto da paternidade na vida artística; plateia pergunta sobre a inspiração de “ O amor no caos”; critica o atual governo; fala sobre questões de desigualdade; Cleber conta que participou de clipe do cantor, junto com Joao Suplicy, chamado “Nos nossos dias, mais vale o tempo de um abraço e de um olhar”.

Banda MIS toca “Heavy metal do senhor”.

Cleber pergunta sobre trabalhos infantis do cantor; diz que tem interesse em trabalhos infantis desde antes de ter filhos; comenta sobre personagens do folclore; destaca a linguagem complexa para se escrever um romance; comenta sobre o projeto com Hilda Hilst.

Banda MIS toca “Telegrama” e “Sete vidas”. Zeca canta “Lenha” com a banda, encerra e agradece a entrevista.


Gênero:
Apresentação Musical; Entrevista
Descritores:
música popular brasileira; poesia; composição (música); bossa nova; intérprete; violoncelo; música infantil
Descritores Geograficos:
Arari - Maranhão - Brasil; São Paulo - São Paulo - Brasil; São Luís - Maranhão - Brasil
Descritores Onomásticos:
Paulo Diniz ; Carlos Drummond de Andrade; Milton Nascimento; The Fevers; Reginaldo Rossi; Waldick Soriano; Tom Zé; Federico Fellini; Nelson Rodrigues; Gal Costa; Itamar Assumpção; Walter Franco; Stephen Fry; Tom Jobim; Carlos Lyra; Roberto Menescal; Tito Madi; Umberto Eco; João Suplicy; Hilda Hilst