Estéreo MIS com Samuca e a selva - entrevista


Vídeo





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.



--Título:
Estéreo MIS com Samuca e a selva - entrevista
Número do Item: Número de Registro:
17.03.01.08-2020-02-001 -
Uso e acesso:
Consulta local sem agendamento; Divulgação virtual
Companhia Produtora:
Museu da Imagem e do Som de São Paulo
Autoridades: Classificação:
Samuel SamucaEntrevistado(a)
Rosana CaramaschiEntrevistador(a)
Renata LetíciaProdução
André PacanoEdição
Jennyfer YoshidaEdição
Local de Produção:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção: Data de Lançamento:
31/01/2020 26/05/2020
Suporte/Formato:
HDD (Hard Disc)
Sistema: Cromia:
NTSC (National Television Standards Committee) Cor
Áudio: Produção:
Estéreo Nacional
Idioma: Classificação:
PortuguêsOriginal
Duração
0h 90min 21s

Sinopse/Descrição:

Nesta entrevista Samuel Samuca, vocalista, flautista e compositor do coletivo Samuca e a selva, fala sobre sua infância em Guaratinguetá, e sobre as influências musicais e literárias recebidas na época, os quais despertaram seu interesse pela música e pela poesia.


Conta sobre sua formação musical e acadêmica, e comenta sobre as experiências profissionais vividas anteriormente à carreira musical. Explica qual era o cenário musical da cidade de São Paulo no ano em que se mudou para a capital paulistana, e o impacto dessa mudança no desenvolvimento de sua carreira musical.


Fala sobre a formação da banda Chinela de palha, e sobre o surgimento do coletivo Samuca e a selva, com a proposta de fazer música pop atemporal valorizando as matrizes culturais brasileiras.


Conta sobre a produção dos álbuns “Madurar” (2016) e “Tudo que move é sagrado” (2018), em homenagem aos 70 anos do compositor Ronaldo Bastos, bem como sobre os resultados alcançados com o lançamento desses trabalhos.


Comenta sobre a produção musical brasileira na atualidade, e reflete sobre seus planos futuros.


No âmbito da comemoração dos 50 anos do Museu da Imagem e do Som no ano de 2020, Samuca comenta sobre as experiências vividas no museu.


Gênero:
Entrevista
Descritores:
afrobeat; cordel (literatura); disco music; forró; funk; grunge; MPB; música nordestina; música popular brasileira; reggae; soul
Descritores Geograficos:
Guaratinguetá - São Paulo - Brasil; São Paulo - São Paulo - Brasil; Vancouver - Canadá
Descritores Onomásticos:
Bixiga 70; Bob Marley; Caetano Veloso; Carlos Drummond de Andrade; Chico Buarque; Clube do Balanço; Earth, Wind & Fire; Elis Regina; Farufyno; Fela Kuti; Gilberto Gil; Luiz Gonzaga; Maria Bethânia; Max de Castro; Metá Metá; Michael Jackson; Milton Nascimento; Mombojó; Móveis Coloniais de Acaju; Nomade Orquestra; Otto; Os Opalas; Ronaldo Bastos; Siba; Tim Maia; Vinícius de Moraes; Wilson Simoninha