Estéreo MIS com Samuca e a selva - show


Vídeo





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.



--Título:
Estéreo MIS com Samuca e a selva - show
Número do Item: Número de Registro:
17.03.01.08-2020-02-002 -
Uso e acesso:
Consulta local sem agendamento; Divulgação virtual
Companhia Produtora:
Museu da Imagem e do Som de São Paulo
Autoridades: Classificação:
Samuel SamucaVocal
Samuel SamucaFlautista
Allan SpirandelliGuitarrista
Bio BonatoFlautista
Bio BonatoSaxofonista barítono
Fábio PriorPercussionista
Felippe PipetaTrompetista
Guilherme NakataBaterista
Kiko BonatoSaxofonista tenor
Léo MalagrinoContrabaixista
Lucas CoimbraTecladista
Lucas CoimbraAcordeonista
Victor FãoTrombonista
Renata LetíciaProdução
André PacanoEdição
Jennyfer YoshidaEdição
Local de Produção:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção: Data de Lançamento:
31/01/2020 22/05/2020
Suporte/Formato:
HDD (Hard Disc)
Sistema: Cromia:
NTSC (National Television Standards Committee) Cor
Áudio: Produção:
Estéreo Nacional
Idioma: Classificação:
PortuguêsOriginal
Inglês
Duração
0h 90min 34s

Sinopse/Descrição:

Abrindo a temporada de 2020, o projeto Estéreo MIS traz o coletivo Samuca e a selva para apresentar canções dos álbuns “Tudo que move é sagrado” (2018), em homenagem aos 70 anos de vida do compositor Ronaldo Bastos, e “Madurar” (2016), com ritmos dançantes e suingue tropical.


“Na apresentação canções regadas à poesia com menções claras a ritmos regionais do Brasil como o baião e o ijexá, atrelados à influência de gêneros mais universais como o jazz, a salsa, o soul e o afrobeat explicitam a diversidade de um trabalho consistente que vem sendo reconhecido por público e crítica.” (MUSEU DA IMAGEM E DO SOM, 2020)


Show dedicado à memória da bailarina Magó, Maria Glória Poltronieri Borges, vítima de feminicídio em 25 de janeiro de 2020.


Setlist:


1. TUDO QUE MOVE É SAGRADO | 2. POBRE DO BENTO | 3. CRAVO E CANELA | 4. CAIS | 5. DETERGENTE | 6. LUMIAR | 7. AFOGADO PEITO ALTIVO | 8. À BEÇA | 9. TREM AZUL | 10. MADURAR | 11. FLORES RARAS | 12. PANTANAL PARAGUAYO | 13. FÉ CEGA, FACA AMOLADA


Gênero:
Apresentação Musical
Descritores:
afrobeat; baião (música); ijexá; jazz; maracatú; música popular brasileira; música regional; salsa; samba rock; soul
Descritores Geograficos:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Descritores Onomásticos:
Ronaldo Bastos