Áudio e Disco


Áudio e Disco





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.



Quantidade de registros: 3947

Ele fala de Tarsila do Amaral, de Oswald de Andrade entre outros assuntos;
Continuação da entrevista com Di Cavalcanti (confidencial sem cópia). Relata como conseguir obras de Augusto Comte para Hitler a pedido de um funcionário do governo brasileiro. Fala sobre o escritor Oswald de Andrade e a ida de Pagu a Paris.
Continuação da gravação com Di Cavalcanti. Aborda as relações do artista com outros artistas, com a literatura e política. Fala de sua condição social; de sua participação política (1926 a 1945) e da Semana de 1922; de Oswald de Andrade e Patrícia Galvão (Pagu); diz que a Patrícia...
Entrevista com o artista Di Cavalcanti, aborda a vida pessoal do artista e suas influênciais iniciais para sua formação como artista. A gravação apresenta pequenos cortes. Ele fala de suas referências intelectuais (Joaquim Nabuco, Machado de Assis, Silvio Romero, José Veríssimo, João do ...
Gravação de uma conversa informal com Di Cavalcanti fala a respeito de guerra, nacionalismo, fascismo, Getúlio Vargas e movimentos sociais. Bastidores da entrevista.
Fala de música popular entre outros temas.
Di Cavalcanti fala de sua estadia na França (1924), da morte de Lênin, do contato com intelectuais como André Breton, o poeta Louis Aragon, Picasso, Blaise Cendrars (que conheceu através de Sérgio Milliet); do movimento surrealista e dadaísta; diz que acompanhou a apresentação de Villa-Lobos...