Batimam e Robim


Filme





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.




Título:
Batimam e Robim
Número de Item: Número de Registro:
00820KOD00004FC FC00121-35A(2)
Uso e acesso:
Consulta local com agendamento
Coleção:
00820KOD - Kodak
Companhia Produtora:
Etcétera Filmes e Vídeo
Autoridades: Classificação:
Ivo BrancoProdução executiva
Ivo BrancoDireção
Cristina SanteiroAssistência de direção
Ivo BrancoRoteiro
Marcelo SpombergDireção de fotografia
Marcelo SpombergOperação de câmera
Marc de RossiMontagem
Walter RogérioEdição de som
Paulo RigoliOperação de áudio
Zé RodrixMúsica
Francisco de AndradeCenografia
Marco RiccaElenco
André BarrosElenco
Fábio CoutinhoElenco
Marcos MadalenaProdução
Local de Produção:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção: Data de Lançamento:
1992 -
Bitola: Cromia:
35 mm Cor
Produção:
Nacional
Idioma: Classificação:
PortuguêsOriginal
Metragem total - Tipo: Duração:
Curta-Metragem 0h 25min 0s

Sinopse/Descrição:

"Dois Homens. Dois amigos. Leo e Mário. Batimam e Robim. Uma situação limite. Um delírio suburbano de dois quase marginais. A fantasia que salta da história em quadrinhos para a periferia de São Paulo. Batiman e Robin no Brasil? Sem Batmóvel, sem Batcaverna, na batporrada e no bat38. Um caso policial. Uma quase história de amor".


Batimam e Robim são dois amigos, na verdade Leo e Mário, dois quase marginais da periferia da cidade. O apelido surge depois de saírem no carnaval fantasiados de super-heróis, Para conseguir um dinheiro fácil, resolvem fazer um assalto, uma aventura sem maiores consequências caso o dono do armazém não reagisse: ele fere Mário e é morto por Léo. Os dois fogem e se refugiam num velho galpão abandonado. Mário, com a perna ferida e necessitando de cuidados, acredita que a polícia irá cercar o local a qualquer momento. Leo, cansado da espera angustianda, resolve sair para encontrar sua amante. Mário sente-se traído, e dispara contra Leo. Ele então abraça o corpo do amigo e dizer tudo o que não conseguia antes.


Prêmio Estímulo da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, 1990.


Melhor Diretor no 25º Festival de Brasília, 1992.


Melhor Diretor e Melhor Ator no 9º Rio-Cine Festival, 1993.


Melhor Filme de Curta-metragem, Melhor Ator, Melhor Música no 21º Festival de Gramado, 1993.


Prêmio Especial do Júri, 20ª Jornada de Cinema da Bahia, 1993.


Melhor Curta-metragem de Ficção no 15º Festival del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana, 1993.


Gênero:
Ficção; Drama
Descritores:
periferia; crime; carnaval