Sem Título


Fotografia





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.




Título:
Sem Título
Número do Item: Número de Registro:
00843NFT000692FTa -
Uso e acesso:
Consulta local com agendamento
Coleção:
00843NFT - Nova Fotografia
Autoridades: Classificação:
Márcia BeltrãoFotografia
Local de Produção:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção:
de 01/01/2015 a 31/12/2018
Série: Tiragem:
Em Curso -
Técnica / Formato: Suporte:
Impressão sobre papel algodão Papel algodão
Cromia:
Cor
Dimensões da mancha (alt. x larg.):
90 cm x 90 cm
Notações:
Adesivagem em placa PVC, estrutura de madeira caxeta, perfil 2 x 2 cm com 5 cm de profundidade.

Descrição:

O trabalho da fotógrafa foi feito a partir de sua observação de dentro de um trem com enfoque no próprio trem, nas pessoas que ali circulam, na metrópole, na paisagem e no Rio Pinheiros. O projeto nasceu do seu envolvimento afetivo com o Rio Pinheiros, mora ali perto, e chegou a fotografá-lo de carro, das pontes, de bicicleta e, por fim, de dentro de um trem. Mas quando decide fotografá-lo de dentro de um trem, o Rio Pinheiros deixa de ser o protagonista e cede espaço para as pessoas e a cidade. Ela fez umas quinze viagens de trem e cerca de 800 fotos por viagem.


Ronaldo Entler é o responsável pelo acompanhamento curatorial da mostra e faz a síntese a seguir sobre esta série de fotografias:


“Em um gesto sutil de resistência, e sem qualquer romantismo, Márcia Beltrão tenta construir por meio da fotografia uma sensibilidade sincronizada com essa paisagem saturada que é vista pela janela de um trem suburbano. Assim, ela compõe com os resíduos desse imaginário moderno um discurso ajustado à contemporaneidade. Acostumada a ver o mundo pelo enquadramento da câmera, ela descobre que o trem, com seu ritmo e suas próprias molduras, constitui um dispositivo capaz de falar o idioma fragmentário de nossas paisagens”.


Gênero:
Ensaio fotográfico
Descritores:
rio; trem; flor; casa
Descritores Geográficos:
São Paulo - São Paulo - Brasil
Descritores Onomásticos:
Ronaldo Entler