Notas Contemporâneas: Alceu Valença - Auditório


Vídeo





O acervo do MIS está disponível apenas para consulta local gratuita. O usuário é o único e exclusivo responsável pelo respeito aos direitos autorais, personalíssimos e conexos das obras pesquisadas. É vedada a reprodução de obras originais ou cópias, no todo ou em parte, de qualquer forma e para qualquer finalidade, em conformidade com a Lei 9.610 de 19.02.1998


Para reprodução de qualquer obra, original ou cópia, em quaisquer meios e mídias e para quaisquer fins, e para solicitação de empréstimos, o interessado deverá seguir os procedimentos estabelecidos pela Política de Acervo do Museu. Para informações sobre empréstimo, reprodução e demais usos, entre em contato com a equipe do CEMIS através do Fale Conosco.



--Título:
Notas Contemporâneas: Alceu Valença - Auditório
Número do Item: Número de Registro:
00821NTP00318VD -
Uso e acesso:
Consulta local sem agendamento; Divulgação virtual
Coleção:
00821NTP - Notas Contemporâneas
Companhia Produtora:
Museu da Imagem e do Som de São Paulo
Autoridades: Classificação:
Alceu ValençaEntrevistado(a)
Cadão VolpatoEntrevistador(a)
Cleber PapaDireção
Rosana CaramaschiPesquisa
Vânia AlmeidaProdução
Diego ValverdeEquipe técnica
Bruno Café SforcimEquipe técnica
José AlexandreMúsico
Pedro Fiorim BarrosMúsico
Márcio Sampaio GuimarãesMúsico
Raiza Lopes CoelhoMúsico
Local de Produção:
Museu da Imagem e do Som - São Paulo - São Paulo - Brasil
Data de Produção: Data de Lançamento:
19/03/2014 09/05/2017
Suporte/Formato:
Blu-Ray
Sistema: Cromia:
NTSC (National Television Standards Committee) Cor
Áudio: Produção:
Mono Nacional
Idioma: Classificação:
PortuguêsOriginal
Duração
0h 133min 2s

Sinopse/Descrição:

Alceu Paiva Valença nasceu em São Bento do Una, Pernambuco, no dia 1º de julho de 1946; começa a entrevista contando como nasceu o Alceu Valença; lembra da fazenda onde morou e do canto dos abeadores; cita o filme que realizou “A luneta do tempo”; fala sobre os emboladores na Feira do Una, dos cegos tocando rabeca e dos violeiros, conta que seu avô tocava viola; fala sobre sua ida para o Recife sobre seus vizinhos, o poeta Carlos Pena Filho a cantora lírica e o maestro Nelson Ferreira; fala sobre o risco de virar músico; a presença do rádio; cita Cauby Peixoto, Dalva de Oliveira e Nelson Gonçalves; fala sobre seu primeiro violão e sobre as aulas de música e composição; música "Candango sofredor" e seu tio Reinaldo; fala sobre ter um ídolo; a pesquisa sobre a chuva e seu encontro com Carlos Drummond Andrade “Caso Pluvioso”.


Banda MIS toca "Morena tropicana".


Alceu conta como compôs a música "Morena tropicana"; cita Vicente Barreto e Sérgio Lemos; fala sobre seu envolvimento com o rock, a ditadura e a rebeldia; Carnegie Hall; recita a música “Bobo da corte”; reflete sobre se manter firme nas suas convicções; música “Coração besta”; canta antes de Joan Baez; volta a falar de sua infância; apresentação no Teatro Rex onde canta “É frevo meu bem”.


Banda MIS toca “Na primeira manhã”.


Alceu fala sobre sua composição “Na primeira manhã”; cita Rubem Braga “O conde e o passarinho”; a crônica “Eu e Bebu na hora neutra da Madrugada”; sua ligação para Rubem Braga; poema “Rosa Jacente”; conta a visita do Secretário; fazer um mote; recita o mote do Tio Lucilo.


Banda MIS toca “Cavalo de pau”.


Alceu conta como compôs a música “Cavalo de Pau”; fala da música “Coração bobo”; seus discos; cita Zé Ramalho; sua ida para o Rio de Janeiro e seu show; sua ida para São Paulo; disco “Espelho Cristalino”; sua parceria com Cláudio Vencini cantando “Namoradinha de um amigo meu”; conta quando seu disco não saia na Som Livre e a tentativa de ir para a PolyGram à convite de Paulo Coelho.


Banda MIS toca “Tesoura do Desejo”.


Alceu conta como compôs a música "Tesoura do Desejo"; Festival em Nova York e seu encontro com uma ex namorada; sua ida para Paris; disco “Saudade Pernambuco” que não saiu; Alceu Valença passado, presente e futuro; fala sobre a música brasileira e a indústria do entretenimento; a arte espontânea.


Banda MIS toca “Anunciação”.


Alceu fala sobre a música "Anunciação"; roubo da flauta; seu filme e a flauta japonesa; música erudita com Walter Branco; música “Maracujá”; fala do seu avô; o Bombo.


Banda MIS toca “Coração Bobo”,


Alceu conta como surgiu a música "Coração Bobo"; show universitário; cita Marcos Bazola.


Banta MIS toca “Loa de Lisboa”.


Alceu fala da música “Loa de Lisboa”; poeta Fernando Pessoa; sua ida para Lisboa; endereço da casa do amigo; o carnaval; conversa com o padre; o Sono; cita estilos de música do carnaval.


Banda MIS toca "Cabelo no Pente”.


Alceu encerra cantando “La Belle de Jour”.


Gênero:
Entrevista.
Descritores:
música; música brasileira; depoimento; biografia
Descritores Geograficos:
São Bento do Una - Pernambuco - Brasil; Recife - Pernambuco - Brasil
Descritores Onomásticos:
Carlos Drummond de Andrade; Joan Baez; Rubem Braga; Zé Ramalho